imagem de topo da empresa

Dicas e Sugestões

icone da dica
nome da dica

14 dicas para evitar pragas e doenças na horta

Coloque as mãos na terra

Fazendo a manutenção e vistoria regular na horta, é possível identificar doenças e pragas, antes que se alastrem. É importante ter muita atenção e notar se o as plantas estão infectadas. Caso estejam, isole-as para que as doenças ou pragas não tomem o resto do plantio.

 

Cuide do solo

Um solo ruim evita que as plantas retirem dele os nutrientes necessários para seu crescimento saudável e também ajuda a proliferar pragas e doenças. É importante, além de regaradubar a terra para mantê-la fértil, sempre coberta com vegetação (folhas secas, capim) para manter a umidade.

 

 

rega-horta-regador (Foto: Creative Commons)

As plantas precisam de água, não esqueça de regar a horta pela manhã.(Foto: Creative Commons)

Regue a horta de manhã

Com as plantas aguadas de manhã cedo, o excesso de água tem o dia todo para secar ou ser absorvido pelo solo. É importante também regar apenas o solo, não as folhas, que ficam expostas a danos causados por fungos, caso fiquem molhadas.

Diversifique a plantação

Manter a diversidade é essencial em uma horta caseira. Como algumas pragas preferem determinados vegetais, se o cultivo for diversificado, é possível evitar que elas se alastrem por toda a plantação. Além disso, algumas plantas são inimigas para pragas que atacam outras espécies e vice-versa.

abelha-flor-inseto-mel-colmeia (Foto: Pierre Guezingar/CCommons)

Várias espécies na horta formam uma barreira natural aos inimigos (Foto: Pierre Guezingar/CCommons)

Não mate os amigos da horta

Alguns animais, como abelhasminhocas joaninhas têm papéis extremamente benéficos em uma horta caseira e orgânica. É importante não removê-los do canteiro.

Elimine ervas daninhas...

Remova as ervas daninhas assim que identificá-las. Elas são oportunas para o desenvolvimento de doenças parasitárias que podem arruinar toda a plantação caseira. 

...Mas deixe as plantas espontâneas

É importante reconhecer o que nasce espontaneamente, mas que não é erva daninha. Algumas plantas espontâneas não-prejudicias podem atrair pragas para si, evitando que elas ataquem o cultivo. Algumas plantas são também comestíveis e podem se tornar parte da horta.

Construa canteiros

Com algumas sobras de madeira, é possível construir um simples e bom canteiro, que evita que muitos insetos terrestres invadam a horta e destruam a produção.

 

 

hortela-cultivo-horta (Foto: Creative Commons)

Hortelã pode ser usado como planta repelente (Foto: Creative Commons)

Plante vegetais atrativos ou repelentes

Tem um espacinho sobrando na horta? Plantas repelentes ou atrativas são boas opções. Repelentes naturais, como citronelahortelã crisântemo, afastam as pragas da plantação. Plantas atrativas, como a capuchinha, podem ser úteis para chamar a atenção das pragas e evitar que elas ataquem o cultivo.

Ou plante atrativos longe da horta

Não tem espaço para cultivar plantas atrativas na horta? Plante-as no entorno da área em que cultiva. Cercando a horta com plantas atrativas, evita-se que pragas invadam o cultivo. Mas é preciso cuidar desse “sistema de defesa”, também. Se as pragas destruírem essas plantas, partirão para o ataque à sua horta.

Use cobertura morta

Uma boa maneira de melhorar a qualidade do solo, evitar pragas e ainda impedir o crescimento de ervas daninhas é a distribuição de palha pela superfície. Isso mantém a temperatura do solo e retém a umidade, ou de folhas secas, que durante a sua decomposição, formam uma camada de matéria orgânica farta que se incorpora à terra.

armadilha-adesiva-horta (Foto: Creative Commons)

Armadilhas adesivas são úteis para evitar que pragas cheguem à horta (Foto: Creative Commons)

Adesivos podem ajudar

Armadilhas adesivas são boas opções em lugares onde as pragas circulam com frequência e facilidade. Por terem diversos tipos e finalidades, um profissional deve ser consultado antes que elas sejam instaladas na horta.

ver mais
icone da dica
nome da dica

O porquê de usar luvas para a sua própria segurança

As luvas de segurança protegem as mãos dos trabalhadores contra riscos mecânicos. Como abrasão, corte e perfuração, riscos químicos e riscos biológicos - como fungos e bactérias. Devem-se avaliar os riscos e atividades desenvolvidas. O tamanho da mão do usuário também deve ser considerado. ver mais

icone da dica
nome da dica

Três dicas para limpar e desinfetar a casa e torná-la num local seguro

É importante colocar em prática estes conselhos de higienização diariamente.

As últimas semanas (e futuras) serão muito provavelmente lembradas como as mais caseiras da história. A propósito, começou a circular na internet a hashtag #ficaemcasa, uma mensagem simples, mas muito clara, e que agora faz parte da vida de milhões de pessoas em todo o mundo, como forma de combate à expansão do coronavírus. Agora, e mais do que nunca, será fundamental tornar a casa num local seguro e adequado, capaz de receber-nos da melhor maneira até que os tempos de alerta e emergência terminem. O portal profissonal Prontopro.es partilhou três dicas fundamentais para limpar e desinfetar os espaços.

A empresa pediu aos seus especialistas nas áreas de limpeza doméstica e industrial para apresentarem uma lista de dicas a seguir para ajudar a limpar a casa, removendo quaisquer germes e bactérias. Chama-se "higienização", que significa a aplicação simultânea de duas etapas: limpeza e desinfeção de qualquer superfície.

Escolher os produtos certos

Podem ser utilizados produtos descartáveis, como papel, acompanhados de equipamentos capazes de emitir vapor, uma vez que o choque térmico permite a total eliminação de agentes patogénicos. Mas também os produtos químicos são adequados para a limpeza de ambientes, e a escolha do detergente certo depende do tipo de sujidade: para remover a cal, por exemplo, devem utilizar-se produtos à base de ácido clorídrico; para resíduos gordurosos é aconselhável usar um produto como lixívia ou desengordurante. Evita misturar as duas categorias de produtos, pois existe o risco de envenenamento.

Por fim, os "remédios da avó", que também são sempre úteis, além de terem um baixo impacto ambiental. Incluem o uso de substâncias como vinagre, ácido cítrico ou bicarbonato para operações de remoção de sujidade. Também poderás utilizar água fervida, acima de 70º C, para eliminar todos os patogénicos.

Para finalizar a higienização das superfícies, é recomendável usar um desinfetante como álcool (pelo menos 75%) e deixá-lo atuar nas superfícies durante pelo menos 60 segundos. Por fim, enxagua bem as superfícies com água para evitar o risco de contaminação química por contacto ou inalação de produtos desinfetantes.

Tecidos

Os especialistas aconselham uma lavagem na máquina a uma temperatura de pelo menos 60 a 70 graus para garantir a eliminação do vírus. Se não for possível lavar tudo a altas temperaturas, poderás acrescentar, por exemplo, peróxido de hidrogénio (água oxigenada) ao detergente normal.

Para tecidos e estofados que não podem ser lavados na máquina, recomendamos o uso de equipamentos a vapor e aspiradores de pó equipados com um filtro HEPA, isto é, capazes de filtrar até as menores partículas.

Frequência da limpeza

É aconselhável levar a cabo estas práticas diariamente. O último conselho é seguir as principais indicações sugeridas pela OMS: usar etanol (álcool) com pelo menos uma concentração de 75% ou produtos de cloro (lixívia comum).

 

ver mais
icone da dica
nome da dica

7 dicas para beber mais água durante o dia

Porque deve beber mais água?

Beber a quantidade ideal de água durante o dia pode ser, para muitas pessoas, um verdadeiro desafio! A água é essencial ao nosso organismo: ajuda a combater doenças, é ótima para controlar o metabolismo, favorece a diminuição de peso, elimina toxinas, rejuvenesce a pele e faz com que muitos problemas de saúde possam ser evitados. É, portanto,  um dos nossos melhores aliados e.

Quanto mais água ingerirmos, mais o nosso corpo agradece!

Quantidade de água ideal

Salvo raras exceções, o mínimo aceitável é realmente 1,5 litros por dia. Numa média, a ingestão adequada para mulheres seria de 2,7 litros por dia e para os homens 3,7 litros. Contudo, é uma ideia errada pensar que esta “ingestão adequada” se foca apenas na ingestão de água! Não se esqueça que os alimentos também têm água, assim como outras bebidas além da água potável ou engarrafada.

Quer saber como calcular a quantidade ideal de água por dia?

O cálculo é bem simples. Basta multiplicar o seu peso  por 0,03. Desta forma, saberá com mais exatidão a quantidade de água que é ideal ingerir durante o dia para o bom funcionamento do corpo.  Contudo, importa mencionar que este cálculo não se adequa às necessidades hídricas de um atleta.

Como criar o hábito de beber água?

Separamos algumas dicas infalíveis para que o seu consumo de água aumente durante o dia:

 

01. Beber água ao acordar 

Um copo de água ao acordar ajuda a limpar o seu organismo e a começar bem o dia!

 

02. Leve água consigo!

Para onde quer que vá, tenha sempre uma garrafa de água por perto. Ao ter água ou outra bebida sempre consigo, aumenta a probabilidade de se lembrar de beber.

 

03. Água aromatizada

Faça as suas próprias águas aromatizadas com rodelas de frutas e ervas frescas (ex.: abacaxi e hortelã) e use a imaginação para criar diferentes combinações.

 

04. Beber chás

Opte pelos tradicionais chás, frios ou quentes, preferencialmente sem açúcar adicionado. Além de hidratarem, também beneficiam a sua saúde.

 

05. Antes das refeições

Opte por beber um copo de água antes de cada refeição, assim beberá mais água ao longo do dia.

 

06. Batidos

Os batidos feitos com água e uma peça de fruta são uma ótima opção. Além de hidratarem, são muito nutritivos!  

 

07. APP’s

Descarregue uma aplicação para o seu telemóvel que o irá lembrar, ao longo do dia, da sua missão. 

Portanto, se não consegue beber água pura, ponha em prática os conselhos acima e evite as bebidas alcoólicas e com açúcares adicionados. O truque passa por variar, uma vez que estimula maiores níveis de consumo e acaba por contribuir para melhorar a ingestão de micronutrientes.

ver mais
icone da dica
nome da dica

Plantar e cuidar da relva: tudo o que deve saber

O relvado é um dos principais constituintes decorativos de um jardim, e é por essa razão muito importante saber cuidar dele corretamente. Por essa razão, saber semear/plantar relva de forma adequada e aprender quais os principais cuidados a ter em conta na sua manutenção são conhecimentos essenciais que deve ter em conta.

Saiba como cuidar corretamente da sua relva neste artigo.

Como semear/ plantar relva no seu jardim?

Proceder à sementeira ou plantação de relva num jardim é um processo de fácil execução e que é muito vantajoso caso feito corretamente. Para semear relva no seu jardim, deve respeitar as seguintes etapas:

Escolha o tipo de relva mais adequado

Estão disponíveis no mercado vários tipos de relva (festucapoa, relva inglesa, relva castelhana, azevém, bermuda, etc.) que requerem necessidades diferentes. Todas estas variedades são caracterizadas por períodos de germinação diferentes e estão adaptadas a condições climáticas e edáficas distintas. Para perceber qual a melhor relva para o seu jardim, dirija-se a um centro de jardinagem e peça ajuda especializada.

Semear ou plantar?

A escolha entre tapete ou sementeira deve ter em conta as vantagens e desvantagens de cada modo de implementação do relvado, tendo sempre em conta que ter um relvado saudável e de baixa manutenção, que permaneça bonita e saudável ao longo do ano.

 cuidar da relvado

Sementeira: vantagens e desvantagem

Semear relva pode ser bastante vantajoso pois por poder optar por uma mistura de sementes, consegue selecionar as características específicas que pretende para o seu relvado. Por outro lado, a sementeira da relva possui a vantagem de não implicar um custo tão elevado quando comparado com a instalação de tapetes de relva.

No entanto, semear um relvado está limitado às condições meteorológicas decorrentes no momento da sementeira e ao combate de infestantes, o que pode ser considerado uma desvantagem significativa. O risco na instalação quando as plantas são ainda jovens devido a oscilações climáticas e problemas fitossanitários é superior quando comparado a tapetes de relva, pelo que também deve ser um fator a ter em conta no momento da decisão. O gasto de água na sementeira também é elevado.

Tapetes de relva: vantagens e desvantagem

 cuidar da relvado

Se optar pela instalação de um tapete de relva, possui a grande vantagem de conseguir fazê-lo muito rapidamente (na maior parte dos casos, em apenas 1 dia está instalado). A taxa de sucesso na formação de plantas adultas bem desenvolvidas é elevada, conseguindo-se uma superfície uniforme e livre de infestantes. Se optar por tapetes, vai conseguir definir muito mais facilmente os limites do seu relvado e pode instalá-lo em qualquer altura do ano.

No entanto, se optar pelos tapetes de relva, poderá encontrar limitações no que diz respeito à sua disponibilidade no mercado. Relativamente a custos, o preço imediato dos tapetes de relva é mais elevado do que o da semente.

 Depois de optar se quer fazer sementeira do relvado ou instalar os tapetes de relva, deve avaliar a área de superfície possível para o seu relvado. Após isto, consegue mais facilmente determinar a quantidade de sementes necessárias para a sua instalação.

Nas embalagens de sementes de relva, está contida a informação acerca do número de sementes que devem ser colocadas na terra por cada metro quadrado e pode dessa forma, fazer uma estimativa do número de embalagens de semente que necessita

A escolha do substrato adequado

Uma das melhores dicas que posso dar é utilizar um substrato apropriado para relvados, quer para a instalação, manutenção ou renovação dos mesmos.

 

ver mais
icone da dica
nome da dica

Descubra as vantagens de criar ovinos

Vantagens para fazer esse tipo de criação, observe:

1- Oito ovelhas comem a mesma coisa que uma vaca. ver mais

icone da dica
nome da dica

Desparasitação – tudo o que precisa saber

desparasitação é uma medida preventiva muito importante na vida dos nossos patudos. Consiste na eliminação de parasitas presentes no organismo do hospedeiro (animal que recebe os parasitas). Ao desparasitar o seu companheiro de quatro patas está automaticamente a melhorar a sua qualidade de vida e a aumentar a resistência a problemas de saúde que porventura podem aparecer durante a sua vida.

 

A desparasitação pode ser:

Interna – endoparasitas – parasitas intestinais, pulmonares e urinários;

Externa – ectoparasitas – pulgas, carraças, piolhos, mosquitos, moscas, ácaros.

 

Animais com parasitas são prejudiciais aos humanos

Alguns parasitas podem afetar os humanos, além de em rápido espaço de tempo constituírem um problema de saúde pública. Animais com parasitas em zonas habitadas por animais são um risco alargado para crianças, idosos e pessoas com um sistema imunitário desfavorecido. As consequências para os humanos passam, por exemplo, por problemas digestivos, lesões oculares, diarreias, vómitos, etc.

 

O que é um parasita?

É um ser vivo que habita, durante um período de tempo, no interior ou exterior de um outro ser vivo de espécie diferente designado de hospedeiro (dá de uma certa forma alojamento ao parasita).

O parasita, por sua vez, permanece vivo no corpo do hospedeiro (ex: cão) alimentando-se dos seus tecidos e reproduzindo-se a velocidades vertiginosas. Os parasitas são divididos em dois grupos: parasitas externos (ectoparasitas) e parasitas internos (endoparasitas).

As pulgas e as carraças são parasitas externos e surgem normalmente no meio ambiente com maior frequência nos meses mais quentes (verão).

A desparasitação é fundamental

Para evitar os problemas já descritos é importante que desparasite de forma preventiva todos os animais que têm em casa de forma simultânea. É essencial que o faça com regularidade.

 

Alguns sinais que o cão tem parasitas

Se encontrar um parasita (pulga ou carraça) na cama, tapetes ou no chão da casa é muito provável que não seja um caso isolado. Inspecione rapidamente o animal.

Após a picada de um parasita o animal pode apresentar febre durante algumas horas ou até dias. Este sinal pode ser acompanhado de fraquezafalta de apetitetremores e respiração anormal.

Se um parasita está impregnado no corpo faz com que o animal se tente morder compulsivamente. Esteja atento a este comportamento!

Se o animal sacudir a cabeça com frequência analise a possibilidade de existirem pulgas na região do pescoço ou carraças junto dos canais auditivos.

 

Regras para desparasitação interna:

Cachorros recém-nascidos: ver mais