imagem de topo da Listagem de Dicas

Dicas de Jardim

Imagem da Dica

Como cuidar de plantas em casa (e as 10 mais simples de manter)

Guia para cuidar de plantas em casa (e as 10 mais simples de manter)

Acha que é um serial killer de plantas? Mete água a mais? Ou a menos? Não sabe que plantas se adaptam ao seu espaço? E à luz? Este é o guia para quem quer criar uma selva urbana dentro de casa.

Saiba como evitar os erros mais comuns com as plantas dentro de casa. E conheça na fotogaleria as mais fáceis para começar a sua aventura botânica

 

Para quem é um iniciante nos temas da botânica de interiores e tem o sonho de ter uma casa com uma área verde generosa, as dúvidas são quase sempre as mesmas. Mas há poucas dicas fundamentais para cuidar de plantas e, acima de tudo, saber adaptar o espaço que se tem em casa, ao ambiente, à luz e, claro, às próprias plantas que se escolhe.

Com a ajuda das quatro amigas fundadoras do projeto Generosa, preparámos um guia para cuidar de plantas à prova até da pessoa com menos jeito para jardins. Eis o básico dos básicos: as plantas são capazes de fabricar a própria energia através da fotossíntese. E para este processo ocorrer, só temos de fornecer três coisas: água, luz solar e dióxido de carbono. A planta fará tudo o resto.

A Generosa cria coleções de plantas para ajudar as pessoas a descobrir quais são as melhores para os seus espaços. E elas sabem do que falam. A Cristina, a Rosário e a Sofia são engenheiras agrónomas e, depois de passarem alguns anos a trabalhar nos sectores agrícolas e agroalimentar, decidiram virar-se para o que unia as três: a paixão pelo mundo das plantas. Juntou-se então a quarta amiga, a Joana, farmacêutica mas apaixonada por plantas e decoração, e o projeto Generosa ganhou os seus quatro eixos: curadoria, qualidade, personalização e acompanhamento.

Deve optar sempre por vasos com buracos no fundo e pratos para escoar a água (esquerda). Em vasos decorativos sem buracos (direita), tem de improvisar uma forma de fazer drenagem. Fotos: Pinterest

 

O  bê-á-bá das plantas dentro de casa

Eis os três passos fundamentais que tem de dar depois de comprar qualquer planta para ter em casa:

Escolha o sítio adequado para o seu poiso

Normalmente essa indicação vem escrita no vaso ou o vendedor deve explicar-lhe. Há plantas que querem muita luz solar — coloque-a perto da janela ou numa zona da casa que apanhe sol grande parte do dia. Há outras que preferem luz média — coloque-a numa divisão luminosa mas onde não receba luz solar diretamente. Tem pouca luz dentro de casa? Então tem de escolher plantas mais tolerantes à sombra e que se vão dar bem em divisões mais escuras. “Qualquer zona da casa onde não seja possível ler uma revista sem recorrer a iluminação artificial é uma zona muito provavelmente inadequada para o desenvolvimento de qualquer planta”, explicam as fundadoras da Generosa. Corredores ou hall de entrada escuros estão, por isso, excluídos.

 

 

Mude a planta de vaso

Muitas plantas começam a murchar porque ficam indefinidamente no vaso onde estavam quando foram compradas. Por norma, esses são apenas vasos de tamanho limite onde as raízes acabam por não ter espaço para crescer. Deixe a sua planta habituar-se ao novo espaço e, uma ou duas semanas depois, faça a muda para um vaso maior. Deve cobrir metade do vaso novo com um substrato adequado, colocar a planta no meio e preencher até acima. As raízes nunca devem ficar no fundo do vaso ou não vão ter espaço para se desenvolver.

Garanta a drenagem

Se a sua planta não tiver drenagem, o substrato vai ficar empapado e as raízes vão apodrecer. Assim, quando fizer a muda para um novo vaso, garanta que este tem buracos no fundo para a água sair. Caso seja um vaso decorativo de louça, por exemplo, por onde não seja possível a água escoar, terá de improvisar uma drenagem. Coloque pedras de tijolo ou argila no fundo do vaso, seguida de uma camada de areia lavada (a de construção, por exemplo) e, então, a terra. A areia vai fazer com que a água escoe para a próxima camada sem asfixiar as raízes. Também funciona com esferovite no fundo e uma manta de drenagem ou um pouco de feltro entre o esferovite e a terra. É permeável e não asfixia as raízes. Mas o ideal será, claro, vasos com vários buracos no fundo e um pratinho para deixar a água sair. Se o vaso tiver buracos pequenos, pode fazer os passos anteriores para garantir uma boa drenagem.

Observe e “ouça” a sua planta e quando é que ela pede água. As necessidades de água estão sempre a mudar em função das condições do meio ambiente ao longo do ano. Fotos: Pinterest

 

Com a chegada do outono e a menor luz solar, como cuidar das plantas?

O mais importante é a gestão da rega. É preciso ajustar as necessidades de água das plantas a esta época em que as temperaturas começam a descer e as plantas necessitam de menos água porque, tal como nós, transpiram menos. A redução da luz implica também uma diminuição da taxa de crescimento das plantas, pelo que a fertilização deixa de ser necessária, sob risco de se poder tornar tóxica quando em excesso. E pode ser necessário aproximar mais as plantas das janelas para compensar um maior ensombramento das divisões da casa.

Regamos demais ou regamos a menos?

Se muitas plantas morrem por falta de água, a verdade é que morrem (mais) frequentemente por excesso de água. E uma coisa tão simples é, afinal, aquela em que se erra com mais frequência. Não faça um calendário rígido. Pelo contrário, observe a sua planta até ela “pedir” água. Uma planta feliz tem a terra húmida mas não molhada. Assim, para saber quando deve regar, introduza um dedo no substrato para sentir se está seco ou húmido. Se estiver húmido, volte a verificar no dia seguinte. Se aí já estiver seco, uma boa rega vem mesmo a calhar. Quando regar, cubra toda a zona em redor da planta e não apenas num local. A água tem de estar uniformemente disponível por todas as raízes.

Seguir um calendário rígido é meio caminho andado para matar uma planta porque as necessidades de água estão sempre a mudar em função das condições do meio ambiente ao longo do ano. Há alturas em que a planta pede mais água e outras em que pede menos. As folhas murchas também não são sinal de falta de água. Às vezes as folhas estão murchas devido à asfixia das raízes que têm muita água acumulada no fundo do vaso. Aí, elimine a água do vaso e deixe a terra secar.

Passo muito tempo fora de casa. Não posso ter plantas?

Claro que sim. Há plantas mais exigentes em cuidados do que outras, plantas que não gostam de correntes de ar, plantas que são muito sensíveis à falta pontual de água e, claro que isto não é só conversa das avós, plantas que gostam de vida em casa (ou que se fale com elas). Quem viaja muito ou gosta de passar o fim de semana fora deve optar por plantas fáceis, que tolerem algum descuido, que sejam menos exigentes de água e que recuperem bem depois de serem ignoradas. Estas são as plantas da categoria “as mais fáceis” que na Generosa são aconselhadas às pessoas mais ausentes.

“Uma maneira simples de avaliar a quantidade de luz disponível é observar as sombras nas paredes durante as horas mais luminosas do dia. Sombras muito bem definidas indicam locais com boa luminosidade. Sombras pouco definidas são indicativas de zonas mais ensombradas, onde a opção deve incidir sobre plantas tolerantes a condições de baixa luminosidade”, explicam as engenheira agrónoma do Generosa. Foto: Pinterest

 

O que é que as pessoas fazem geralmente de errado?

  • Em primeiro lugar, o excesso de rega, claro. Mas há mais coisas que provavelmente está a fazer de errado e é por isso que as suas plantas não sobrevivem;
  • Plantas demasiado perto das janelas e muito expostas ao sol direto;
  • Plantas sujeitas a fortes oscilações de temperatura, demasiado próximas de aparelhos de ar condicionado ou de aquecedores;
  • Plantas em vasos demasiado pequenos cujas raízes ocupam a maior parte do vaso;
  • Ou plantas em vasos muito grandes onde a água que fica retida no vaso é excessiva para as suas necessidades, o que acaba por também matar as raízes;
  • Não compreender o ciclo de vida das plantas. Algumas são anuais (estão sempre em folha o ano todo), outras são vivazes (perdem as folhas e as flores no inverno e voltam a nascer no verão). Não atire para o lixo uma planta que pode estar apenas no seu ciclo;
  • Não é só no verão que se deve pulverizar as plantas e as folhas (com um borrifador) devido ao calor. Durante o inverno, e porque as casas são aquecidas, o ar fica seco e a planta também precisa de ser pulverizada.

Algumas leituras que podem ajudar

ver mais
Imagem da Dica

Fertilizantes caseiros e Naturais

Os fertilizantes naturais ou orgânicos são compostos obtidos de restos vegetais ou animais, tais como os lixos biodegradáveis que geramos nas nossas casas.

Reaproveitando estes resíduos, podemos beneficiar as plantas e o jardim e ainda poupar dinheiro.

A obtenção de fertilizantes orgânicos para a utilização nas plantas do nosso jardim pode ser realizada com facilidade a partir de matéria biodegradável, tal como as cascas de fruta e legumes, casca de ovos, entre outras.

A obtenção dos fertilizantes ocorre por decomposição natural destes produtos com o auxílio de decompositores como as minhocas, ou pela utilização direta de outros produtos tais como as borras de café e cinzas da madeira, apresentando ambos vantagens para o ecossistema existente no seu jardim.

Explore esta lista de fertilizantes naturais que pode utilizar e reaproveitar da melhor forma nas suas plantas e tornar o seu jardim mais amigo do ambiente, poupando economicamente.

Reduza a aplicação de químicos e aproveite os resíduos gerados em sua casa.

Cascas de ovos.

Fertilizantes naturais que pode encontrar em casa e no jardim

Borras de café

Após deixar secar, aplicar em volta do tronco de plantas amantes de solo ácido, tais como as Azáleas, Rosas, Begonias, Cyclamen, Gardenia, Impatiens, Hortênsias, entre outras.

Não aplicar constantemente para não acidificar demasiado o solo.

Cascas de ovo

Depois de secas ao ar, triture para formar um pó e espalhe pelo seu jardim para aumentar o pH do solo, adicionar cálcio e magnésio e melhorar a infiltração de água no solo.

Cinzas da madeira

Espalhe as cinzas no solo e revolva para inseri-las no solo. Não coloque se o seu solo é alcalino. Fornece potássio e carbonato de cálcio às plantas.

Fezes de animais

Utilize as provenientes de vacas, cavalos e galinhas. Fornece nitrogénio ao solo e plantas. Para conservar e utilizar, misture com o solo para não perder as propriedades e nutrientes.

Aparas de relva

Fornece nitrogénio ao solo. Não utilize se estiverem molhadas ou muito verdes, porque tornam o solo ácido pela adição de amónia.

Água do aquário dos peixes

Aproveite a água suja do seu aquário que contém nitrogénio, quando efetuar a limpeza do mesmo para regar as suas plantas.

Vinagre

Adicione 4 litros de água a 1 colher de sopa de vinagre e regue as suas plantas de 3 em 3 meses para melhorar a acidez do solo. O ácido acético do vinagre irá alegrar as suas plantas amantes de acidez.

 

Vantagens

 

São económicos

A obtenção de composto orgânico pode ser feita sem custos adicionais pelo facto de utilizar lixo biodegradável produzido em nossas casas.

Corrigem a nutrição do solo

A adição de matéria orgânica ao solo fornece o alimento adequado e embora de uma forma mais lenta, irá fornecer os nutrientes de uma forma sustentável.

Melhoram a textura do solo

Em solos arenosos a adição de matéria orgânica aumenta a estrutura e a retenção de água para as plantas.

Enriquecem o solo

Fornece ao solo o alimento necessário e não deixa resíduos químicos armazenados.

 

ver mais
Imagem da Dica

Tenha a sua Horta em casa!

Dicas para ter a sua Horta sem sair do seu apartamento

Utilize recipiente profundos

A maior parte das ervas e vegetais precisa de ser plantada num recipiente com alguma profundidade  para crescer adequadamente, e por essa razão, deve utilizar vasos com pelo menos 25 l de capacidade.

Utilize vasos capazes de fazer uma boa drenagem

É fundamental que o vaso escolhido consiga  fazer uma drenagem adequada.  Para tal, é fundamental que faça pequenos “furinhos” no fundo do vaso para garantir a circulação de água e nutrientes.

Lave e desinfete os vasos antes de plantar
  1. Com o principal objectivo de eliminar bactérias e fungos que possam estar presentes nos vasos, deve lavá-los e desinfectá-los cuidadosamente. Para tal, misture um copo de lixívia em 3 litros de água e lave os seus vasos com esta solução.
  2. Escolha um substrato adequado para as suas culturas
  3. É fundamental que o substrato escolhido seja o recomendado e adequado para qualquer planta, para garantir que este forneça os nutrientes que a cultura precisa para crescer e desenvolver-se adequadamente.
Utilize um bom fertilizante
  1. Pode optar por  investir num bom fertilizante líquido  ou fazer o seu próprio fertelizante caseiro, certificando-se dessa forma que   as suas plantas estão a receber tudo aquilo que mais necessitam terem boas produtividades.

_______________________

 

8 sugestões de vegetais para plantar

1. Alface

Horta em apartamento - Saiba tudo, como fazer, o que plantar

A alface é um bom exemplo de um vegetal muito fácil de plantar num vaso/canteiro na varanda do seu apartamento. As sementes de alface crescem em quase todas as condições, e são por essa razão um dos vegetais mais simples que pode cultivar no seu apartamento.

Adquira umas sementes de alface  e comece a plantar! Em pouco tempo pode ter as suas alfaces prontas a serem consumidas, precisando apenas de um local que receba bastante luz solar para colocar os recipientes  onde vai semear ou plantar esta cultura. Pode escolher várias variedades de alface e produzi-las no mesmo espaço e não há qualquer problema.

2. Espinafres

Horta em apartamento: como fazer, o que plantar, passo a passo ...

Com condições muito semelhantes às alfaces, os espinafres são um bom exemplo de um vegetal muito simples para plantar e cuidar. Assim que estejam prontos a serem consumidos, basta cortar a planta sempre que  necessita de usar nos seus cozinhados, continuam os espinafres que ficaram no vaso em contínuo crescimento.

Garanta recipientes com uma boa drenagem e boa exposição solar para maiores produtividades.

3. Cebolinho

Horta em apartamento: como fazer, o que plantar, passo a passo ...

O cebolinho é um vegetal muito fácil de cultivar em casa, e pode ser produzido em vaso e fazer parte das culturas da sua horta em apartamento.  Apesar de ser fácil de plantar em casa, apresenta a  desvantagem de poder levar muitos meses a crescer e estar pronto para ser colhido.

4. Tomate-cereja

O tomate-cereja (Solanum lycopersicum var. cerasiforme) é uma espécie de tomate cujo tamanho é menor e, que tem normalmente um sabor mais adocicado quando comparado com o tomate mais comum.

Usualmente, é utilizado em saladas ou até mesmo para embelezamento de pratos  e tem vindo a “ganhar” cada vez mais apreciadores para fins culinários.

Este tipo de tomates caracteriza-se por ter boas produções uma vez que um  pé de tomate-cereja pode dar muitos frutos.

Deve ter em consideração que este tipo de tomates deve “apanhar” pelo menos 4/5 horas de sol por dia e ser regado frequentemente para maximizar os resultados e produções

Os tomates-cereja crescem bem em vasos, no entanto, deve apostar em mudas em detrimento das sementes para melhores resultados.

Lembre-se que esta é uma “espécie de planta trepadeira” e por essa razão, não se pode esquecer de incluir um suporte/tutor para assegurar o seu correcto crescimento e desenvolvimento.

 

5. Pepinos

 ideias para montar uma horta em apartamento

Os pepinos são uma óptima opção para elaborar um salada e servir de acompanhamos em pratos diversos.

Culturalmente, crescem rapidamente  e perfeitamente em vasos, e podem também necessitar um um suporte para os auxiliar no seu crescimento e desenvolvimento.

São um bom exemplo de um vegetal que se adapta bem a uma horta em apartamento.

6. Cenouras

ideias para montar uma horta em apartamento

As cenouras crescem e desenvolvem-se muito bem em  vasos com uma maior profundidade. Apesar de fáceis de serem cultivadas nestas condições, têm um ciclo produtivo relativamente longo e podem demorar até 3 meses até estarem prontas a serem colhidas.

7. Rabanetes

Como ter uma horta em apartamento pequeno

Os rabanetes são também um exemplo de vegetais que têm um crescimento e desenvolvimento rápido e que podem ser colhidos após cerca de 1 mês.

Uma vez que os rabanetes não gostam de temperaturas muito altas, deve escolher um local na sua varanda menos exposto à luz solar.

8. Mini-pimentos vermelhos

 

Os pimentos podem ser perfeitamente plantados em vaso.  Deve ter em atenção que estes vegetais necessitam de  ter determinadas condições para crescerem perfeitamente e por essa razão opte por plantar mudas e não faça sementeira.

Podem demorar algum tempo a estarem prontos para serem consumidos ( cerca de 3 meses) e por essa razão, e dada a limitação de espaço, pode optar por plantar  mini-pimentos vermelhos tais como os da imagens, que ficam prontos mais rapidamente e ocupam menos espaço.

Agora que já conhece 8 exemplos de vegetais que pode ter na sua horta em apartamento, que tal começar a “desenhar” a sua própria horta? Esta é a oportunidade ideal para produzir os seus próprios alimentos e saboreá-los com a certeza de que está a consumir um produto de qualidade e seguro!

ver mais
Imagem da Dica

Uma Boa Nutrição do jardim é fundamental

 

A nutrição das plantas tornou-se nos dias de hoje, uma prática fundamental e uma das áreas mais importantes da jardinagem para obter os melhores resultados possíveis.

Uma nutrição adequada tem um papel fundamental no aumento do desenvolvimento e produtividade das culturas, sendo imprescindível, pois garante o fornecimento dos nutrientes necessários para o desenvolvimento vegetal saudável.

Plantas nutridas no seu jardim

Quando o solo não é capaz de satisfazer as necessidades das suas plantas no jardim, aparecem os primeiros sintomas visuais de carências nutricionais (folhas com características diferentes).

Identificar a razão deste tipo de problemas é fundamental para os resolver, e sobretudo para tentar evitá-los ao máximo!

Muitas vezes, a falta de nutrientes do seu jardim, podem ser “mascarados” por pragas ou doenças, falta de irrigação, insolação, etc. Deve por isso estar atento(a) ao seu jardim, para garantir que nada de mal lhe aconteça!

A Importância de ter um substrato de boa qualidade no seu jardim

Com o objetivo de ter uma boa terra no seu jardim, é fundamental que exista uma gestão eficiente de todos os recursos disponíveis.

Usar um substrato próprio para as suas plantas do jardim é “meio caminho andado” para assegurar o bom desenvolvimento das suas plantas nomeadamente desde o momento da sementeira.

Na Agrilar encontra tudo o que precisa para ter um Jardim Lindo  e Saudavel. 

ver mais
Imagem da Dica

Plantar alface no seu jardim

A alface é fácil de crescer, tornando-se uma ótima opção para ter no nosso jardim. Um mix delas é simplesmente genial para sempre ter saladas frescas e preparar sanduiches. Além de fornecer diferentes tipos de nutrientes, cada tipo de alface, estas folhas verdes são excelente como entrada para qualquer refeição, fornecendo vitaminas A, C, K e ácido fólico. ver mais

Imagem da Dica

Jardim com cor

Um jardim quer-se em flor, mas para garantir botões sempre abertos e um cenário colorido, é necessário remover todas as flores secas de uma planta para que esta possa voltar a florescer. Caso contrário, esta irá concentrar-se e produzir mais sementes e não voltará a abrir tão depressa.

ver mais